Adaptar, a principal habilidade da sua vida

A adapta√ß√£o aos meios, ambientes e situa√ß√Ķes √© a principal habilidade de uma pessoa.

Eduardo Sully ūüĎ•
6 min readMay 4

--

Adpte ou morra‚Ää‚ÄĒ‚Ääunsplash
Photo by Brett Jordan on Unsplash

N√£o h√° como negar: em um mundo cada vez mais complexo e din√Ęmico, a capacidade de se adaptar √© fundamental para o sucesso pessoal e profissional. Na verdade, pode-se dizer que a adapta√ß√£o aos meios, ambientes e situa√ß√Ķes √© a principal habilidade de uma pessoa. Afinal, aqueles que conseguem se ajustar rapidamente a novas circunst√Ęncias e aprender com elas s√£o os que prosperam. Ent√£o, se voc√™ deseja ter sucesso em sua vida e carreira, √© essencial desenvolver essa habilidade vital de adapta√ß√£o.

Adapta√ß√£o aos meios, ambientes e situa√ß√Ķes √© a principal habilidade de uma pessoa ‚ÄĒ Eduardo Sully

Você já precisou fazer algo muito diferente do que costumava fazer? Em algum momento da sua vida precisou rever o que estava fazendo, buscando melhoria?

Sim, √© comum que as pessoas precisem fazer algo muito diferente do que est√£o acostumadas em algum momento de suas vidas, seja por necessidade, mudan√ßa de circunst√Ęncias ou busca por crescimento pessoal e profissional. √Č natural que nesses momentos, seja necess√°rio rever e refletir sobre as pr√°ticas habituais para encontrar novas formas de melhorar e evoluir em dire√ß√£o aos objetivos desejados. A disposi√ß√£o para sair da zona de conforto e buscar novas alternativas √© fundamental para o sucesso em diversas √°reas da vida. T√°, n√£o vamos aqui qualificar o que √© sucesso, ele pode e deve ser diferente para cada pessoa, e o intuito aqui n√£o √© trazer essa defini√ß√£o.

Rapidamente, vou te mostrar porque adaptar é a principal habilidade para a sua vida, se deseja crescer e ter uma carreira, e porque não, uma vida promissora. Mais antes, deixa eu te contar uma pequena história de vida, da minha vida.

Quando era adolescente n√£o pensava muito na profiss√£o que iria atuar pela vida inteira e isso poderia ser pensamento de adolescente revoltado, mas na minha cabe√ßa eu s√≥ queria viver o aqui e agora. O tempo foi passando e comecei a levar a m√ļsica como profiss√£o, tocando em bares, restaurantes e organizando os pr√≥prios eventos e shows. Um dos locais que tocava foi fechado e a lei do sil√™ncio entrou em vigor. Boa parte dos locais n√£o podiam mais ter m√ļsica ao vivo, a√≠ vem as primeiras grandes adapta√ß√Ķes da minha vida. Precisei sair das baquetas ūü•Ā para instrumentos de percuss√£o, que ainda n√£o tinha experimentado. Mas n√£o fiz isso profissionalmente, foi uma adapta√ß√£o para n√£o abandonar a m√ļsica de vez, o que aconteceu mais pra frente.

Nessa época o design gráfico chegava na minha vida e nem sei como isso aconteceu. Eram muitas novidades e já estava empolgado com a área. Quando gosto de algo, aprofundo no assunto para conhecer ainda mais e isso é um hábito. Bom, nem precisa dizer que estudei incansavelmente, horas a fio na frente do computador tentando entender, e isso ocorre em todos os assuntos que fazem sentido pra mim. E essa busca por conhecimento me tornou também autodidata.

Escolher o design como profiss√£o foi muito f√°cil, havia experimentado as duas profiss√Ķes de desejo, os sonhos que queria viver, ainda sem saber qual era esse sonho.

Comecei em design gráfico e após um período evoluí para o cargo de diretor de arte, atuando em agência de publicidade e propaganda, essa foi a minha maior adaptação. Mas houve uma transição antes disso. Havia trabalhado em gráficas de impressão (papéis) e comunicação visual (letreiros e adesivos) e a minha primeira atuação em agência foi como produtor gráfico, (aqui está os slides de um dos workshops da época). No corre corre do dia a dia da agência surgiu a oportunidade de criar uma peça a toque de caixa. Ela foi aprovada sem ressalva e perguntaram que havia produzido. Ali nascia mais uma ramificação da minha jornada profissional, começava a carreira de diretor de arte.

Workshop produção gráfica
Workshops produ√ß√£o gr√°fica (2010‚Äď2016)

Nessa altura, tive contato com códigos de programação web e me fascinava como tudo acontecia "do lado de fora". Inquieto que sou, resolvi me aprofundar nos estudos e levar isso para a agência, acumulando mais uma função, dessa vez de Web Designer, desenvolvendo Landing Pages, sites e outras peças digitais, muita das vezes usando o WordPress. Cada novo cliente um novo contexto, precisava estudar e entender o segmento e suas necessidades, atuando na criação de campanhas on/off.

Curso de aprimoramento em web, ministrado na iso4 Comunica√ß√£o‚Ää‚ÄĒ‚Ääsitemap (2011)
Curso de aprimoramento em web, ministrado na iso4 Comunica√ß√£o ‚ÄĒ sitemap (2011)

Um grande salto em um pequeno espa√ßo de tempo, cuidado de tr√™s fun√ß√Ķes, equilibrando os pratos e tentando n√£o deixar nenhum cair. Talvez tenha sido um dos momentos de maior aprendizado da minha carreira, mas principalmente de adapta√ß√£o.

Nenhum novo aprendizado vem sem adapta√ß√£o e resili√™ncia ‚ÄĒ Eduardo Sully

Como voc√™ sabe, o design √© uma profiss√£o em constante mudan√ßa e tem passado por grandes transi√ß√Ķes e evolu√ß√£o, √© preciso estar em movimento, buscar conhecimento e ter equil√≠brio o tempo todo. Novamente me deparei com novas adapta√ß√Ķes. Sa√≠ do design ‚Äúconvencional‚ÄĚ para as verticais e comecei a atuar como UX/UI Designer em uma f√°brica de software, mais uma vez uma grande novidade pra mim, onde conheci novas linguagens de programa√ß√£o atuando como front-end developer, nova cultura empresarial, novas formas de pensar‚Ķ

N√£o s√≥ na carreira profissional vivenciamos adapta√ß√Ķes, elas est√£o por toda parte, trazendo prova√ß√Ķes e nos avaliando ou validando de fato se estamos prontos para um pr√≥ximo n√≠vel. Por isso repito, adapta√ß√£o √© a principal habilidade da sua vida.

O que você pode fazer para ser mais adaptável na sua vida?

Esse √© um pequeno relato com exemplos de adapta√ß√Ķes que aconteceram na minha vida, de l√° pra c√° muitos outros ocorreram e como voc√™ j√° sabe, precisei me adaptar. Por essa ser a principal habilidade na sua vida, deixo aqui alguns pontos que me ajudaram:

  1. Tenha uma visão sistêmica: A primeira característica importante é saber olhar além, à frente, no horizonte. Você precisa olhar e compreender o que pode acontecer. Fique atento às notícias, evolução ou de involução das coisas à sua volta.
  2. Ser resiliente: não tem jeito, adaptação é um processo de aprendizado e você vai ficar igual uma mola, portanto, seja resiliente e sabia que isso faz parte do processo.
  3. A paci√™ncia √© seu maior aliado: quando crian√ßa sem d√ļvida ouviu dos seus pais: ‚Äúcalma, espera a sua vez‚ÄĚ. Eles s√£o grandes mentores da nossa vida. E est√£o coberto de raz√Ķes nessa frase. H√° um momento para cada coisa, para cada situa√ß√£o.
  4. Tenha um objetivo: n√£o estou dizendo aqui para voc√™ ficar se adaptando a qualquer coisa, pulando de galho em galho, n√£o. Adapte-se √†s situa√ß√Ķes dentro do seu objetivo. Voc√™ pode ter v√°rios, ent√£o, escolha qual vale o seu esfor√ßo para desenvolver melhor essa habilidade.

E quero deixar uma √ļltima reflex√£o ūüėČ

A adapta√ß√£o me levou a mudar de √°rea de atua√ß√£o algumas vezes, mas nunca abandonar minhas paix√Ķes, migrei entre √°reas no design. Me levou ao ecossistema de inova√ß√£o de Florian√≥polis, um dos mais inovadores do Brasil, o que tenho muito orgulho e contribuiu muito para o meu desenvolvimento. Me trouxe muitas novas habilidades por simplesmente estar com a cabe√ßa aberta a experimentar o novo e colocar em pr√°tica. Adaptar, √© saber que algo est√° prestes a mudar e voc√™ n√£o quer ficar de fora.

Adapta-se ou morra!

--

--

Eduardo Sully ūüĎ•

Apaixonado por comportamento das pessoas e por design e sei o quanto isso influencia nas decis√Ķes de neg√≥cio e orienta a inova√ß√£o. Cases e mais eduardosully.com